Pesquisas genéticas, prognósticos morais e discriminação genética: um estudo de caso sobre traço falciforme Reportar como inadecuado




Pesquisas genéticas, prognósticos morais e discriminação genética: um estudo de caso sobre traço falciforme - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Danielle Reis ;PhysisRevista de Saúde Coletiva 2015, 25 3

Autor: Cristiano Guedes

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=400842639004


Introducción



Physis - Revista de Saúde Coletiva ISSN: 0103-7331 publicacoes@ims.uerj.br Universidade do Estado do Rio de Janeiro Brasil Guedes, Cristiano; Reis, Danielle Pesquisas genéticas, prognósticos morais e discriminação genética: um estudo de caso sobre traço falciforme Physis - Revista de Saúde Coletiva, vol.
25, núm.
3, julio-septiembre, 2015, pp.
729-751 Universidade do Estado do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=400842639004 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Pesquisas genéticas, prognósticos morais e discriminação genética: um estudo de caso sobre traço falciforme | 1 Cristiano Guedes, 2 Danielle Reis | Resumo: O estudo analisou os debates, no período de 2000 a 2010, no Conselho Nacional de Saúde (CNS) e na Comissão Intersetorial de Vigilância Sanitária e Farmacoepidemiologia (CIVSF), sobre os temas da vigilância sanitária e articulação com o Conselho Consultivo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
A pesquisa documental, de natureza qualitativa, que analisou 163 atas de reuniões do CNS e da CIVSF, e demais documentos a elas relacionados, buscou reunir informações sobre o contexto político-institucional e as interfaces e conexões entre as três instâncias.
Observouse baixa inserção do tema “vigilância sanitária” na pauta do CNS e uma atuação insuficiente da CIVSF para o fortalecimento desse debate. Conclui-se pela fragilidade de integração entre o Conselho Consultivo da Anvisa e as instâncias de controle social no Sistema Único de Saúde.
Esse resultado é fruto de dificuldades de comunicação interinstitucional e da baixa inserção da vigilância sanitária no SUS, historicamente construída....





Documentos relacionados