Negociando fronteiras entre culturas, doenças e tratamentos no cotidiano familiar Reportar como inadecuado




Negociando fronteiras entre culturas, doenças e tratamentos no cotidiano familiar - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Maria da Penha Costa Vasconcellos ;História, Ciências, SaúdeManguinhos 2006, 13 1

Autor: Silvana Nair Leite

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=386137982007


Introducción



História, Ciências, Saúde - Manguinhos ISSN: 0104-5970 hscience@coc.fiocruz.br Fundação Oswaldo Cruz Brasil Nair Leite, Silvana; da Penha Costa Vasconcellos, Maria Negociando fronteiras entre culturas, doenças e tratamentos no cotidiano familiar História, Ciências, Saúde - Manguinhos, vol.
13, núm.
1, enero-marzo, 2006, pp.
113-128 Fundação Oswaldo Cruz Rio de Janeiro, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=386137982007 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto NEGOCIANDO FRONTEIRAS ENTRE CULTURAS Negociando fronteiras entre culturas, doenças e tratamentos no cotidiano familiar Negotiating the boundaries between cultures, illness, and treatments in everyday family life LEITE, S.
N.; VASCONCELLOS, M.
P.
C.: Negociando fronteiras entre culturas, doenças e tratamentos no cotidiano familiar. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v.
13, n.
1, p.
113-28, jan.-mar.
2006. O texto propõe uma reflexão teórica acerca dos itinerários terapêuticos na prática familiar diária, considerando o uso dos mais diversos recursos no enfrentamento de episódios de doenças no cotidiano, tanto em ações isoladas, como nas interações sociais. A compreensão da doença enquanto fenômeno vivenciado não apenas pelo indivíduo, mas também no âmbito da sociedade, baseia a discussão das instâncias que afetam a procura por recursos terapêuticos, desde a escolha racional do indivíduo; a estrutura familiar enquanto provedora dos recursos básicos de saúde; as redes de relações sociais como fonte de apoio e informação nos cuidados de saúde, considerando as ações enquanto construtos sociais e não individuais; até as influências da cultura local e macro social, que fornecem para os grup...





Documentos relacionados